quarta-feira, 15 de julho de 2015

COISAS QUE EDIR MACEDO E ALGUMAS IGREJAS DO GÊNERO JAMAIS GOSTARIAM QUE VOCÊ SOUBESSE







1. Existem muitas pessoas que estão há muito tempo no "Templo de Salomão" e nessas igrejas que jamais receberam os seus pedidos ou mudaram de situação financeira.

Veja essa reportagem


2. Os testemunhos são editados e escolhidos para que só apareçam aqueles que se enquadrem nas suas doutrinas errôneas ou para não espantar os ouvintes iniciantes com o seu materialismo.

Veja um exemplo gravado recentemente na TV 


3. As bênçãos de Deus jamais estão condicionadas a um lugar ou a qualquer ação humana (Efésios 1.3; Gálatas 3.13-14) .


4. Deus ouve a oração. Isso é bíblico, mas existe também a graça comum, ou seja, a ação de Deus na vida de pessoas mesmo que não creiam nem que peçam alguma coisa a Deus. Portanto, a gratidão não será a uma igreja nem porque foi a determinado lugar, ou porque fez algum ritual, ou porque deu alguma oferta, mas somente porque Deus assim quis fazer (Mateus 5.45; Hebreus 6.7; Tiago 1.17). A prova disso é que existem muitas pessoas nessas igrejas que participam do mesmo culto e das mesmas campanhas que não recebem seus pedidos e não acontece nada do que pedem.


5. Existem muitas pessoas que jamais acreditaram em Deus e estão muito bem de vida na sociedade e na família. Portanto, condição financeira ou estabilidade social e familiar jamais significam bênção, porém, a grande bênção de Deus é a reconciliação com ele em Cristo Jesus com humildade.


6. Deus nem sempre dirá sim às petições de alguém. Portanto, quando algum pastor convidar dizendo que tem certeza que Deus vai responder os pedidos de oração de alguém, ele fará uma propaganda enganosa (Tiago 4.13-17).


7. O copo d'água depois da oração não tem valor nenhum porque a nossa fé deve estar firme na obra de Cristo e não porque tomamos água. Por isso que falamos: "em nome de Jesus" (João 14.13-14).


8. Podem existir verdadeiras mudanças de vida em vários aspectos nessas igrejas, mas isso jamais seria por causa de algum ritual ou por que se deu alguma oferta, porém, porque Deus em sua misericórdia age na vida dessas pessoas pelo poder de sua Palavra quando creem. Da mesma forma que existem outras pessoas com as quais isso não acontece (João 3.8).

9. O problema de ação de espíritos e demônios não se resolve somente com um culto, uma oração, ofertas ou rituais de exorcismo, mas com a conversão, pois a Bíblia somente dá garantia desse livramento quando há conversão genuína (Efésios 2.1-2).


10. Os demônios também podem enganar através de um falso ensino que misture verdade com mentira e que desvie a glória de Cristo. Portanto, nem toda igreja e nem todo aquele que fala de Cristo, faça milagres ou expulse demônios é, realmente, de Cristo (Mateus 7.15-23).

5 comentários:

  1. Prezadíssimo irmão,
    Sempre acompanho seus textos e exegeses com atenção, em geral, pertinentes e dissecadores teologicamente. Se sua intenção é edificar o entendimento bíblico, então, parece-me paradoxal no presente artigo, afastar-se desse propósito para justificar o que defendes. Ao focar atenção no líder de uma igreja, você dissipa o objetivo pretendido de instruir para em seu lugar expô-lo pessoalmente. Veja que, Jesus jamais se utilizou desse artifício condenando os rabinos em particular, pelo fato, de não concordar com suas doutrinas, hermenêutica ou, farisaísmos religiosos deles. Pelo contrário, pregou a sã doutrina sem jamais atacar pessoalmente nenhum dos líderes judeus. Sempre contestou ideias e práticas, não às pessoas individualmente. Enquanto, aos seus próprios discípulos permitia-se criticar franca e diretamente. Muitas vezes, de maneira dura e contundente.
    Glórias a Deus ao nosso país que, permite a liberdade de expressão! Contudo, talvez, suas críticas nesse artigo resultem mais em encontrar ressonância nos aplausos dos inimigos políticos do bispo, ao invés, de contribuir para fortalecer a fé dos fiéis e os conhecimentos doutrinários, quais, demonstra defender. Os bons conselhos cooperam para edificar sabedoria, enquanto, dados inflamados do maligno só causam dissenções. Que, por sua vez, não são consideradas na Palavra de Deus como atitudes espirituais. Assim, no contraste de suas proposituras com a intenção aparente, ficam os leitores confusos quanto aos reais objetivos pretendidos. Além, de colaborar para dissipar seu conteúdo como sopro de vento em névoa. Saúde e paz em Cristo! Estarei orando por você! Abrs. Pacheco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pacheco - 1

      Amado irmão Pacheco, paradoxal é seu pensamento em tentar defender o indefensável. Não me afastei do entendimento bíblico. Ao contrário, por entender as Escrituras que escrevi o presente texto. Paradoxal e digno de espanto é o irmão, sendo presbiteriano, defender o que o Supremo Concílio da IBP resolveu, como decisão, que a IURD e seus líderes não seriam mais considerados evangélicos.

      Eu me admiro que o irmão, que conhece as Escrituras, afirme que Jesus e os apóstolos nunca tocaram em nomes “em particular”. Portanto, eu vou clarear a sua memória de algumas passagens:

      1. Jesus não falou diretamente, mas falou com muita contundência de uma forma direta aos fariseus que vinham questionar. No entanto, ficou registrado e escrito nos Evangelhos pelos apóstolos.

      24 Mas os fariseus, ouvindo isto, murmuravam:Este não expele demônios senão pelo poder de Belzebu, maioral dos demônios...
      34 Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala do que está cheio o coração. (Mt 12.24; 34)

      2. Jesus chama Herodes de “Raposa”, e não eram elogios. Lucas faz questão de registrar o nome de Herodes e do que Jesus o chamou:

      31 Naquela mesma hora, alguns fariseus vieram para dizer- lhe: Retira-te e vai-te daqui, porque Herodes quer matar- te. 32 Ele, porém, lhes respondeu: Ide dizer a essa raposa que, hoje e amanhã, expulso demônios e curo enfermos e, no terceiro dia, terminarei. (Lc 13.31-32)

      3. João Batista afirmava que Herodes não podia possuir a mulher de seu irmão. É digno de nota que tanto Mateus como Marcos escreveram em seus Evangelhos citando o nome de Herodes.

      17 Porque o mesmo Herodes, por causa de Herodias, mulher de seu irmão Filipe (porquanto Herodes se casara com ela), mandara prender a João e atá- lo no cárcere. 18 Pois João lhe dizia:Não te é lícito possuir a mulher de teu irmão. (Mc 6.17-18)

      Excluir
    2. Pacheco - 2

      4. No caso de Paulo, é mais claro ainda:

      11 Quando, porém, Cefas veio a Antioquia, resisti- lhe face a face, porque se tornara repreensível. 12 Com efeito, antes de chegarem alguns da parte de Tiago, comia com os gentios; quando, porém, chegaram, afastou- se e, por fim, veio a apartar- se, temendo os da circuncisão. 13 E também os demais judeus dissimularam com ele, a ponto de o próprio Barnabé ter- se deixado levar pela dissimulação deles. (Gl 2.11-13)

      Note que Paulo citou tanto o nome de Pedro (Cefas) que era considerado coluna da Igreja, como citou Barnabé que o levou aos discípulos. Ora, se Paulo citou nomes de apóstolos legítimos, por que eu não citaria o nome de uma pessoa completamente herege como Edir Macedo?

      5. Paulo cita o nome de duas pessoas que estavam prejudicando a fé da Igreja:

      19 mantendo fé e boa consciência, porquanto alguns, tendo rejeitado a boa consciência, vieram a naufragar na fé. 20 E dentre esses se contam Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para serem castigados, a fim de não mais blasfemarem. (1Tm 1.19-20)

      6. Paulo fala novamente de duas pessoas na igreja que estavam ensinando Heresia:

      17 Além disso, a linguagem deles corrói como câncer; entre os quais se incluem Himeneu e Fileto. (2Tm 2.17)

      7. Paulo cita alguns que estavam prejudicando ou que tinham abandonado a fé:

      14 Alexandre, o latoeiro, causou- me muitos males; o Senhor lhe dará a paga segundo as suas obras. (2Tm 4.14)

      10 Porque Demas, tendo amado o presente século, me abandonou e se foi para Tessalônica; Crescente foi para a Galácia, Tito, para a Dalmácia. (2Tm 4.10)

      Portanto, amado Pacheco, estou bem acompanhado em citar nomes. Principalmente que eu usei como uma metonímia por ele ser o líder e cabeça das doutrinas erradas. Não afirmei nada pessoal.

      O texto não tem nenhum teor político, mas teológico e mesmo que tivesse, está totalmente respaldado pelas Escrituras. Depois, eu acredito que fortaleça, sim, a fé dos fiéis, pois isso implica em conhecimento doutrinário. Inclusive sobre citar o nome quando é necessário como demonstrei alguns textos.

      Se tem alguém que está em profunda suspeita sobre motivação política não sou eu, mas você em defender que eu tire o nome do Edir Macedo. Afinal de contas, qual a sua motivação por trás disso, se você não traz embasamento nenhum das Escrituras e nenhuma refutação dos pontos citados?

      É muito estranho que o irmão chame meu texto de “dardos inflamados do maligno” e não perceba a distorção do Evangelho que essa igreja tem propagado com uma doutrina demoníaca. O que me assusta é o irmão não perceber isso. Da mesma forma, eu poderia pensar que o verdadeiro dardo inflamado venha da sua crítica por não trazer nenhum embasamento bíblico nem nenhuma refutação dos pontos citados. O que eu fiz aqui foi apenas uma refutação, com base bíblica, contra essa igreja que distorce o Evangelho de Cristo tendo como seu líder Edir Macedo.

      Portanto, irmão, quanto a orar por mim, preciso sempre de oração, porém, diante do seu texto, fiquei profundamente preocupado, levando-me a ter sérios motivos também a orar por você.

      Excluir
  2. Enquanto discutem pontos doutrinários, milhões morrem por falta de pregadores da palavra que precisa ser pregadas aos que morrem sem fé. pescadores, lancem as sua redes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pregadores da Palavra e não Mercadores da fé. Portanto, não se aplica a igrejas citadas.

      Excluir